CURSO

Arte visual afro-brasileira nos currículos escolares

26 de agosto e 2 de setembro
Sábados | 9 às 13h | Sede-Centro

Carga Horária: 8 horas
Vagas: 20

Valor
Sindicalizado e dependente: R$ 40
Não sindicalizado: R$ 80
Associado de outra entidade de professor ou professor maior de 60 anos: R$ 60

Ementa: O que torna a arte visual afro-brasileira distinta de outras vertentes artísticas existentes no Brasil? Que elementos diferenciam e conferem especificidade à produção dos artistas plásticos afro-brasileiros? Partindo dessas interrogações, o curso discute as relações entre arte e afro-brasilidade, com destaque na estética simbólica das religiões de matrizes africanas e sua influência na história da arte contemporânea brasileira. O curso vincula-se ainda às exigências da lei federal nº 10.639/03, que institui, no âmbito da escola pública e privada, a obrigatoriedade do ensino da história social da África e da cultura afro-brasileira.

Conteúdos: Marcos legais sobre a inclusão do ensino de história da África e da cultura afro-brasileira nos currículos escolares. Herança religiosa africana: formas de abordagem no universo da escola laica. África como referência e a cor como metáfora: arte negra, arte afro-brasileira ou arte afrodescendente? O mito como potencial simbólico e criativo: do sagrado artístico à produção escultórica de Mestre Didi.

Milton S. dos Santos – Doutor em Antropologia Social (UNICAMP), com pesquisa sobre religião, educação e sociedade. Ex-integrante dos Núcleos de Educação e Pesquisa do Museu Afro Brasil. Foi professor-formador na III Edição do “Projeto A Cor da Cultura” (Canal Futura/ONG Ação Educativa). Autor participante da coletânea “Culturas africanas e afro-brasileiras em sala de aula: saberes para os professores”, fazeres para os alunos (Fino Traço Editora), obra selecionada pelo Programa Nacional das Bibliotecas Escolares/MEC/PNBE, 2013.